Citações.

Don’t cry like this.

Nada é totalmente ruim, nada merece sua total tristeza. E mesmo que não existam mais motivos, mesmo que os dias felizes sejam escassos, o mundo sempre gira. A vida também. Abre novos caminhos, e chegam oportunidades que lhe são entregue de mãos beijadas algumas vezes. E você vai perceber que lhe faltou coragem pra correr atrás, pra dizer coisas que engoliu, pra sorrir e amar sem medo do amanhã. E não será tarde demais. Nunca é tarde demais quando se quer começar outra vez. E daí que não deu certo? Pelo menos você tentou!

Quem acredita sempre alcança.

Citações.

Sabe o mais incrível de tudo?!

Sempre vai existir alguém com você. Alguém que vai te olhar de longe, e esperar que você perceba. Alguém que vai te proteger, te amar por dentro e por fora, alguém que vai sorrir só por te ver sorrir. Alguém que sempre vai se preocupar com o que você come, com o que você faz, com o que você é, em como você está. Sempre vai ter alguém, mesmo que você não perceba. Alguém que estará te esperando, mesmo que você demore. Alguém que você pode contar. Alguém que trará respostas para algumas de suas perguntas, alguém que te console quando você chorar, que reze por ti quando você decidir que seguirá suas loucuras. Alguém que você vai ligar no meio da noite se estiver sozinha e tiver acordado com um pesadelo. Alguém que te fará sorrir das maiores besteiras, e sentir saudades sempre que virar as costas. Alguém que te trará proteção, ou a sensação de felicidade. Alguém que te dirá que tudo vai ficar bem, quando isso possa parecer sem sentido. Alguém que vai te ajudar com seu dever de casa, com uma matéria atrasada, ou com contas pra pagar no fim do mês. Alguém que estará do seu lado quando as coisas ficarem feias, e que te abraçará quando ninguém mais o fizer. Alguém que sabe a hora certa pra falar, pra abraçar ou simplesmente pra ficar do seu lado sem dizer nada. Alguém que vai falar com você quando você não tiver mais palavras. Alguém que vai te aconselhar mesmo sabendo que você pode não escutar. Alguém que vai te abraçar e te mimar quando você precisar, mas que saberá a hora certa de te mandar parar com a besteira. Alguém que vai valorizar seus sentimentos, mesmo que você não valorize os dele. Alguém que te dirá boa noite antes de dormir, ou que ficará até tarde acordado por sua causa. Alguém que te deixará falar todas as besteiras do mundo apenas pra ouvir sua voz. Alguém que vai valorizar a parte de você que você mais desvaloriza. Alguém que guardará com carinho o seu coração e cuidará dele como se fosse a pedra mais preciosa, a joia mais rara. E então você vai ver que não importa quem você seja, será amado pelo que realmente é. Você vai ver que esse alguém não te prende, você é que decide estar com ele. Vai ver que não precisa de esforço algum para fazê-lo feliz. E o mais importante de tudo, você vai perceber que mesmo que os dias, os meses e os anos passem, esse alguém estará com você pra sempre, lembrará de você pra sempre, e te amará até depois que seu coração parar de bater. E você sentirá isso. A cada vez que fechar os olhos.

Thatiane Mendes

Citações.

Faxina.

Ano passado decidi organizar muitas coisas, fazer uma limpeza e colocar cada coisa na sua caixa. A limpeza não é no meu AP, ele continua uma bagunça, aliás essa só cresce. Mas uma faxina e organização na minha vida, na minha alma, no meu coração e nos meus dias. Ando jogando no lixo tudo o que não me faz bem e organizando pessoas e desejos por prioridades.

Mas calma, eu levei 17 anos para entender o que não me fazia bem, se você quer também limpar seu interior comece por ai, entenda o que é sem valor, não corra o risco de jogar fora o essencial.

E quando você encontrar, comece sua limpeza. Eu, por exemplo, deixei a vida levar todas as pessoas desnecessárias, esqueci as mágoas, dei uma oportunidade para os meus defeitos, até descobri o quão valiosos eles são. Passei a entender muito mais meus pais, a querer ir mais vezes na minha cidade natal e a ter foco e disciplina, mesmo que isso traga uma dor infernal na minha coluna.

Sabe aquela gaveta de livros e apostilas que está precisando ser limpa e organizada há meses, quando você definitivamente tomar a decisão de sentar no chão e jogar fora o supérfluo, você não vai mais quer parar; e a experiência com a sua alma, será assim também, é viciante. Em troca, você terá mais espaço para desejar o bem, gostar das coisas mais simples, sentir o vento, ter amigos de verdade, atitudes sinceras, sonhar com uma velhice tranquila, amar mais sua família e se amar mais.

Se você for uma dessas pessoas que eu coloquei na sacola da faxina, não fique triste, nem chateado(a), me perdoe, eu só deixei a vida fazer o papel dela. Além do mais eu sou uma péssima pessoa, as vezes nem eu gostaria de ter uma pessoa como eu do meu lado, nesse caso, me mande um presente, eu te fiz um favor.

E para você, um concelho, se me permite, pare de lastimar, comece limpando a sua alma, deixe de lado as paixões desnecessárias, os amores perdidos, as portas fechadas, acredite, no final vamos tomar um café e trocar figurinhas sobre como varrer as tristezas e organizar as prioridades.
Te espero.

Jani Di.

Citações.

lucidez

“O tempo leva embora de diversas maneiras, enquanto a vida traz sem grande alarde. Que haja lucidez. Lucidez para enxergar os presentes que recebemos e poucas vezes enxergamos. Lucidez para valorizar o que nos pertence de fato. Lucidez para aceitar o fim de um tempo e o começo de outro, diferente, mas nem por isso pior. Lucidez para acolher o que é verdadeiro, real e provido de sentido…” Fabíola Simões

Citações.

.

— Talvez a gente seja feito de fechaduras. – ela pontuou depois de alguns instantes calada.

A voz suave sempre agravada aos ouvidos, mas os pensamentos eram muito mais difíceis de decifrar do que aparentava. Ele encarou-a confuso, buscando mergulhar nos olhos que não eram da cor do mar, mas ainda assim pareciam ter a profundidade de um oceano.

— O que quer dizer? – perguntou por fim.
— Exatamente o que disse. – a frase poderia soar grosseira para qualquer um, mas ele se acostumara com suas expressões, conhecia-as sem precisar entendê-las. – Somos feitos de fechaduras, como uma casa em que você precisa atravessar várias portas para chegar ao sótão, só que para alguns as portas estão trancadas.
— Não seria mais como um cofre?
— Poderia ser, mas os cofres geralmente guardam coisas de valor. Já os sótãos escondem aquilo que tentamos esquecer ou não vemos mais utilidade. Acho que no caso das pessoas, é só o que queremos esquecer.
— Ou esconder.
— A gente sempre esconde o que quer esquecer.
— Mas nem sempre esquecemos o que queremos esconder.

Ela virou o rosto. Tirando-o daquele mar negro que era seu olhar. Escondendo o que quer que houvesse lá no fundo.

— Tem razão.
— Acho que li em algum lugar algo sobre isso. Sobre segredos escondidos no sótão da alma.
— Eu tenho certeza que li. Na época lembro que não tinha entendido, mas pensando melhor hoje vejo que o autor tinha razão.

Ela parou, mas ele apenas esperou por uma continuação. Imaginando que o silêncio seria um incentivo.

— Sabe, a gente pode trancar nossos segredos no sótão da alma, mas isso não quer dizer que ninguém nunca vai descobri-los. Quero dizer, se somos como uma casa e nossa alma é nossa propriedade, nós temos todas as chaves, não temos? Podemos abrir as portas uma a uma e mostrar o sótão para algum visitante.
— Mas às vezes a gente perde as chaves da própria casa.
— Não chegamos a perder, só esquecemos onde estão guardadas.
— Exatamente. Nesse caso, a casa continua trancada.
— Até você encontrar as chaves. Geralmente 

a gente esquece onde guarda as coisas que nunca usa. Quero dizer, se a gente nunca destranca pra ninguém, fica cada vez mais difícil conseguir se abrir pra alguém.

Foi a vez dele ficar sem resposta. Sabia que era sua vez de continuar, sempre sabia quando ela terminava. A garota tinha razão, como costumava ter, talvez aquele fosse o problema de trancar tanto a casa.

— A gente pode acabar esquecendo como levar os visitantes até o sótão.

— Não é esquecer. Podemos até ter a intenção, mas não sabemos mais como chegar até lá.

— Mas o trecho, me lembrei dele, era seguido por “esse é o meu”. Até o autor revelava os segredos da personagem.

— Eu não disse que nunca revelamos. Pelo contrário.
— Já descobriu como chegar ao sótão quando se perdeu as chaves?

Ela hesitou. Sabia a resposta, mas não tinha certeza se estava pronta para ela.

— Talvez às vezes alguém passe forçando as portas. Martelando os trincos ou quebrando a madeira.
— Mas aí a casa vai ficar marcada pra sempre.
— Exatamente.

O garoto puxou o rosto dela de volta, buscando naquele olhar o sentido de toda aquela conversa.

— Tem outra opção. – pontuou por fim.
— Qual? – a pergunta dela foi recheada por uma súplica.
— Às vezes a gente faz uma faxina ou alguma mudança, sabe? Quando a gente limpa tudo e sai empacotando as coisas, sempre achamos coisas perdidas nessas situações. A gente pode achar as chaves também.
— Mas isso pode demorar anos para acontecer.
— E desde quando chegar ao sótão de qualquer um acontece de forma rápida? O importante é que uma hora a chave aparece.
— Tem razão. Se o visitante esperar, uma hora ele chega ao sótão.”

Another me. · Citações. · Pensamento soltos traduzidos em palavras.

Déjá ju.

blog

“Suponhamos que o tempo seja um círculo fechado sobre si mesmo. O mundo se repete, de forma precisa, infinitamente. Na maior parte dos casos, as pessoas não sabem que voltarão a viver suas vidas. Comerciantes não sabem que voltarão a fazer os mesmos negócios várias vezes. Políticos não sabem que gritarão na mesma tributa o número infinito de vezes nos ciclos do tempo… No mundo em que o tempo é um círculo, cada aperto de mão, cada beijo, cada nascimento, cada palavras serão precisamente repetidos. Também os serão todos os momentos em que dois amigos deixarão de ser amigos, toda vez que uma família se dividir por causa de dinheiro, toda frase maldosa em uma discussão, toda oportunidade negada por inveja, toda promessa não cumprida. E, assim como todas as coisas serão repetidas no futuro, todas as coisas que estão acontecendo agora aconteceram um milhão de vezes antes…”

Aprendemos desde muito cedo a medir a passagem do tempo através dos ponteiros do relógio. E não importa de correram horas durante a expectativa por algum acontecimento, ou se durou um segundo o tempo daquela festa. Estamos sempre presos a consciência do tempo mecânico, ao que ele representa, ao que ele conta. Mesmo assim, qualquer um já experimentou a sensação de não ter visto o tempo passar estando ao lado de alguém que ama, ou de ter sentido a eternidade se aproximar durante o período daquela ausência. 

E se esse tempo mecânico e cronológico não existisse? E se tudo o que entendemos como realizada fosse apenas a percepção parcial do que realmente acontece? E se o passado e o futuro ocorressem simultaneamente, mesmo que a gente só tenha consciência do presente?

Embora essa conversa tenha ares de ficção, e se pareça mais com “Lost” que qualquer outra coisa, ainda assim me entusiasma saber que a física teria hipóteses semelhantes para explicar o tempo e as dimensões. 

Indo mais além, poderia afirmar que as possibilidades de vida poderiam ocorrer simultaneamente, cada qual com seu desfecho, em três futuros distintos. Assim, se imaginarmos que uma escolha determinou a versão da história que vivemos hoje, podemos estar enganados ao imaginar que somente esta realidade ocorreu de fato. E se outros dois destinos, determinados por escolhas totalmente opostas, estejam ocorrendo simultaneamente, em algum lugar do tempo?

Podemos então lançar a seguinte pergunta: De todas as versões possíveis de sua história, qual a que lhe faria mais feliz? É está que você escolheu vier hoje?

Enquanto agradeço a Deus por estar exatamente onde estou, penso que a vida é um constante déjà vu, uma repetição de eventos e sensações que se separam e se fundam infinitamente.

Tudo isso se junta a mistura. Meus nove anos, correndo e brincando de esconde esconde e os nove anos de Lisinha, com seu The Sims, com seu Furby  e todas aquelas suas Barbies. Minha madrinha, com seus trinta e poucos anos, que coloca um maiô sempre colorido pra ir pegar um sol na praia de Tibau, e meus futuros trinta e poucos com a minha primeira mamografia e a capacidade de sentir-me a vontade dentro da minha própria pele. Minha “mainha” beirando com pouco mais de sessenta anos, cantando e dançando a cada término de Manancial… e os meus mais de sessenta, que por Deus chegarão, aproximando e fundindo a realidade dos nove, dos trinta e pouco e dos sessenta. 

“Uma vida é um momento em uma estação. Uma vida é uma precipitação de neve. Uma vida é um dia de outono. Uma vida é uma delicada faixa de luz sendo rapidamente devorada pela penumbra quando se fecha uma porta. Uma vida é um fugaz movimento de braços e pernas.”

Após pensar sobre tudo isso, descubro que carrego em mim o que fui e o que serei. Os pulos que dei e as rugas que terei. Os desejos que ansiei e os movimentos que realizei. O que semeei e o que ainda colherei. As músicas que ouvi e as letras que ainda não decorei; as histórias que vivi e os enredos que ainda escreverei. Os amores que deixei e os que nunca esquecerei…