Hoje eu desisti de novo de você.

Eu me matriculei naquele curso para te esquecer e no meio do caminho você começou a me olhar nos olhos de novo, ai eu pensei que talvez pudéssemos nos reaproximar e ai eu desisti. Passou a ser incrível cada vez que nossos olhos se cruzavam e você me sorria de uma forma tão meiga. Era incrível, meus olhos até brilhavam quando falava com você (como sempre). Eu não lembro de ter conhecido alguém tão incrível em toda minha vida.

Aí você foi embora e eu desisti. 

Agora era um pouco menos incrível, meus olhos não brilhavam mais, mas nunca deixei de pensar em você. E foram tantas coisas erradas no meio do caminho. Eu pensei que talvez eu pudesse apenas ficar te amando a distancia, e mandando todas as melhores energias que eu poderia daqui.

Aí não deu certo, e eu desisti.

E ai você voltou a responder minhas mensagens e eu fiquei feliz. Eu me sentia tão feliz quando, mas ai as conversas nunca chegavam até o fim. Nunca ia até o fim. Por mais que eu quisesse, você não queria.

Ai eu desisti.

E ai a gente, aos poucos, foi tentando uma convivência pacífica sempre que você vem por aqui. E deu certo por um tempo, mas eu não consigo. A forma como você olha e trata… Dói. Eu não sei como você destruiu todo o sentimento que disse um dia sentir por mim, mas eu não consigo.

O amor é fácil, né? É convivência, companheirismo. Ele brota de repente… o amor. As ações falam muito mais. A falta delas, então… aprendi com você que se algo faz mais mal que bem é porque tem alguma coisa errada.

E então eu desisti. De novo. De vez. E só a ideia de entrar no Tinder me causa náuseas, a ideia de beijar alguém de novo me causa náuseas,  minha única vontade é a de passar o resto da vida substituindo desejo carnal por gelatina ou maratona na Netflix.

Resolvi desistir de vez porque porque a última coisa que eu preciso é transformar a história mais linda que eu construí numa relação que se alimenta de ressentimentos. Mas eu sei que todos esses ressentimentos são só saudade disfarçada e falta de traquejo esmagando e manchando as nossas mãos de sangue.

E você nem é uma pessoa ruim, apesar do mal que me faz. E eu nem sou uma menina ruim, apesar do mal que te fiz. A gente tinha tudo para dar certo, mas algo aconteceu no meio do caminho. Esse algo chamava nós.

Superar você é tão difícil que me matriculei num curso de lantejoulas. Eu só quero ocupar minha cabeça com qualquer coisa que não seja repassar mentalmente cada passo, troca de palavras e a última vez que nos beijamos.

Desistir de você vai me custar toda a força que eu tenho, mas isso vai me trazer a minha paz de volta. Que eu me torture de vez em quando com saudade, que eu me entupa de memórias gostosas, tanto faz, não me importo. Compreender que você precisa mesmo ir embora foi o primeiro passo para aceitar que um dia passa. Que um dia isso tudo acaba, e que eu posso voltar a habitar a mente e o corpo que sempre me pertenceu, mas que esta destruída demais, triste demais para governar.

Superar uma pessoa é tão difícil que uma vez me matriculei num curso de lantejoulas. Me falaram que em três meses eu aprenderei a fazer um bordado lindo, só não me falaram se daqui a três meses eu ainda vou pensar em você.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s