Desculpe-me, e eu te amo.

Lembro-me como se fosse hoje!

Acho que se fechar os olhos, ainda consigo ver nitidamente você na minha frente com aquela roupa que eu amava, acompanhada de um largo primeiro sorriso (de muitos) e aquele abraço de como se já fossemos velhos amigos. Nem preciso me esforçar para lembrar o seu cheiro, ou o ar mentolado do seu hálito quando falava coisas banais no meu ouvido. Tinha tanta gente ao meu redor, mas eu só via você.

Em pouco tempo fui convidada a conhecer o seu mundo. O seu quarto. Você nunca foi de fazer jogo. Sempre que quis algo, foi lá e fez. Esse sempre foi seu ponto forte. Mas para uma pessoa sistemática como eu, é também o meu ponto fraco.

Por uma vez tentei não pensar nisso: afinal, você  me embriagava. Se algo me passava pela cabeça, era o seu rosto, sua voz, seu corpo. E que belo corpo!

Quando fui a sua casa à tarde pela primeira vez, meu coração estava quase na boca. O mundo parou por um segundo e te vi ali, escorado na porta com aquele mesmo sorriso bobo e olhar descompromissado, meio tímido, meio sem jeito. 

Eu me apaixonei perdidamente por você naquele dia.

Eu não queria sair de perto de você nunca. Passaria uma vida admirando seu sorriso, seus olhos. Sempre achava engraçado, quando você, tão decidido, ficava sem graça. 

Às vezes (e me perdoe por isso) eu nem conseguia prestar atenção nas suas palavras, porque acabava hipnotizada pelo movimento da sua boca: a boca que eu queria tanto beijar.

Por várias vezes me belisquei, só pra ter certeza de que eu não estava sonhando.

Todos os dias, que logo viraram semanas, que logo viraram um mês. E o que aconteceu? Eu morri de medo de te perder. Eu pensava demais. AS incertezas falaram mais alto. Tudo estava perfeito demais pra ser verdade e com medo de que algo estragasse isso, eu estraguei sozinha.

E eu te perdi. 

Porque eu agi como idiota e estraguei tudo é o que eu venho tentando me responder desde o dia em que você me mandou embora. 

Meu maior arrependimento é ter te feito sofrer.

Hoje, eu queria voltar no tempo e dá um tapa na cara daquela menina insegura. Olhar nos olhos dela e dizer: “Não perca o amor da sua vida.” Eu queria voltar, te pedir desculpas e te beijar até perdermos o fôlego. Queria sussurrar no seu ouvido que sempre te amei e que fui idiota. Queria te dizer que sempre seremos um do outro. 

Esse texto é só pra dizer que te amo. E que ainda sonho com a minha segunda chance.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s