Confissões…

Não sei dizer com exatidão qual foi o momento em que eu me apaixonei por você. Qual o momento em que eu senti que tudo era bem mais que uma simples amizade, que meu desejo de te abraçar apertado tinha se transformado num súbito e incontrolável desejo de tocar teus lábios. Menos ainda sei dizer se isso aconteceu de forma simultânea entre nós. Se eu me apaixonei primeiro que tu, se você que me levou a isso ou se eu que arrastei você. Só sei que um dia decidimos caminhar de mãos dadas. Era algo absurdamente novo. Algo realmente inédito, mas que me fazia sentir viva. Eu não sabia a dimensão disso tudo até que, finalmente, os meus lábios tocaram os teus pela primeira vez. Se eu pudesse eternizar algum momento em minha vida, seria esse. Mesmo com todos os nossos beijos mais intensos, mais demorados e aperfeiçoados, esse momento era o que eu iria eternizar. Nada, nunca, fez meu coração bater tão forte, minhas mãos suarem tão frio, e eu me sentir tão bem. Fecho os meus olhos e eu consigo quase que sentir aquele momento. Não pudemos conversar muito depois de tudo, mas ir pra casa com o teu gosto na minha boca foi incrivelmente único. Eu estava me apaixonando perdidamente por você. Eu estava perdidamente apaixonada por você. Era tudo tão lindo. O único e crucial problema era que eu não podia me apaixonar por você. Eu não podia e eu não devia. Mas, foram os dois anos mais incríveis da minha vida.
[continua]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s